Reposição hormonal: quanto tempo dura o tratamento?

Estou no climatério, já comecei a reposição hormonal, tenho os sintomas sob controle e me sinto ótima… posso parar o tratamento? 

Essa é uma pergunta recorrente no consultório. Muitas mulheres, logo que conseguem domar os efeitos da aproximação da menopausa, querem saber quando será possível interromper o uso de hormônios.

A verdade é que a reposição hormonal (RH) tem data para iniciar, mas não tem prazo para terminar. Vai depender de cada pessoa, da intensidade dos sintomas e da necessidade de prevenir doenças futuras. 

Por isso, controle a sua ansiedade: a reposição hormonal não serve apenas para devolver a qualidade de vida momentaneamente. Ela serve para proteger a sua saúde ao longo de todo o processo natural de envelhecimento.

Definir a hora certa de parar o tratamento e saber se isso trará benefícios à mulher requer a avaliação de um médico especialista em menopausa. Só as consultas e os exames de rotina vão dizer como o seu organismo está reagindo.

 

Sem pressa: o importante é a eficácia do tratamento

A primeira coisa a entender é que existe uma janela de oportunidade para iniciar a reposição hormonal, um prazo adequado para adotar esse tratamento. 

Quanto antes a mulher começa a tratar os sintomas, melhor. O ideal é fazer isso assim que os primeiros sinais surgem ou, no máximo, em até 10 anos após a menopausa – se isso ocorrer antes de a mulher completar 60 anos de idade.

Após isso, é fundamental conversar com um médico especialista em saúde feminina. Quem já passou de 60 anos não está proibida de fazer tratamento hormonal, mas é preciso considerar se ainda haverá benefícios à saúde.

 

Reposição hormonal não é tudo igual

Outro ponto que vale a pena destacar é: nenhuma reposição hormonal é igual.  O tipo de hormônio, as dosagens e a forma de administração variam de mulher para mulher porque levam em conta o quadro clínico, a saúde geral, o estilo de vida e as eventuais contraindicações.

Quem se “consulta” com a família ou a amiga corre sérios riscos de complicar o futuro ao invés de garantir uma vida saudável.

Então, se você tem bons hábitos alimentares, faz atividade física e cuida da saúde em outros aspectos, saiba que a reposição hormonal será mais uma aliada. E mais: se você está se sentindo bem, se livrou dos sintomas do climatério, não tem contraindicações para o tratamento e é assistida regularmente por um médico que reavalia e ajusta as dosagens quando é preciso, não tem por que pensar em parar a reposição hormonal.

 

O que ter em mente sobre a reposição hormonal

  • A reposição hormonal pode ser feita por mulheres durante anos ininterruptos com muita segurança, desde que elas iniciem o tratamento dentro da janela de oportunidade e que sejam acompanhadas por um especialista.
  • Manter ou não um tratamento hormonal deve ser decidido pela mulher em conjunto com seu médico.
  • Se a mulher está bem, tem boa qualidade de vida e tem vantagens com o uso de hormônios, pode continuar o tratamento mesmo após os 65 anos de vida.
  • Em alguns casos, o médico pode recomendar o uso de doses mais baixas e com via de administração não oral, mas toda decisão deve ser tomada entre o profissional e a paciente. O que é indicado para uma mulher pode não ser para outra.
  • É importante fazer exames de rotina e reavaliar o tratamento, principalmente levando em conta comorbidades e fatores de risco.
  • Se a mulher tem muitos sintomas da menopausa, como fogachos, ansiedade, depressão, labilidade emocional, dificuldades para emagrecer, insônia, lapsos de memória ou qualquer outro problema relacionado à falta de hormônios, as dosagens da reposição devem ser reavaliadas com frequência.

 

Confie em quem entende do assunto

Voltando à questão inicial da nossa conversa: não existe duração máxima para o tratamento hormonal. O que interessa e importa, de verdade, é começar na hora certa para garantir a saúde e a qualidade de vida que todas nós queremos, e merecemos, em qualquer idade.

Se você ficou com alguma dúvida, não deixe de buscar informação e recorrer a quem se dedica e se preocupa com a saúde feminina. Não é novidade que eu sou fascinada por este assunto e estarei sempre aqui para ajudar!

Por: Dra Natacha Machado 

Ginecologista – CRM/SC 20516 | RQE 11831 | TEGO 0685/2005

eBook Gratuito Saiba tudo sobre Menopausa e Reposição Hormonal. Dra Natacha Machado

Imagem by Freepik

Compartilhar:

VEJA TAMBÉM